sociais

logos

Cresce Brasil

Projeto de resolução protocolado no dia 9 de abril institui frente parlamentar na cidade voltada às áreas essenciais ao desenvolvimento. Proposta tem apoio do Seesp e da FNE 

Uma excelente iniciativa foi tomada pelo vereador paulistano Eliseu Gabriel (PSB), que protocolou, na sexta-feira (9/4), um projeto de resolução para a criação da Frente Parlamentar da Infraestrutura e Engenharia de São Paulo.  Aguarda-se agora a aprovação da proposta o mais rapidamente possível para que seus trabalhos possam ter início em benefício do desenvolvimento da cidade.

Conforme o projeto, a frente parlamentar deverá promover estudos e discussões e propor soluções para a infraestrutura paulistana, visando maior viabilidade econômica da cidade. Nesse sentido, terá entre suas atribuições a busca do aprimoramento da legislação municipal relativa ao tema. 

Também estará na agenda de atividades a realização de audiências públicas, seminários e debates a fim de promover a integração entre parlamentares, governo e sociedade civil. Ponto fundamental na idealização da iniciativa, por sinal, é a previsão de participação efetiva das organizações, em especial da nossa categoria, conforme deixa claro o vereador na justificativa do projeto: “Há algumas décadas, crises econômicas que se refletem aqui, muitas vezes criadas por equivocadas decisões de governos federais, têm causado problemas na manutenção e modernização da infraestrutura da cidade. Isso pode ser resolvido, além de decisões do Executivo, a engenharia e os engenheiros são aliados chaves para a solução.” 

Como apoiador de primeira hora de uma frente parlamentar com esse objetivo, o Seesp, juntamente com o seu Conselho Tecnológico,  e com apoio da FNE, coloca-se desde já à disposição para contribuir na busca das soluções que o município precisa. 

Tema fundamental a integrar esse debate, na nossa avaliação, será garantir à cidade mão de obra qualificada em número suficiente para atender às demandas de uma megalópole com área de 1.521 km² e 12,33 milhões de habitantes. Nesse sentido, o sindicato tem reivindicado à Prefeitura que amplie consideravelmente o seu quadro de engenheiros e de outros profissionais da área tecnológica. Primeiro passo para essa providência seria convocar os 568 aprovados no concurso feito em 2018, até hoje à espera de serem chamados ao trabalho. 

Conforme dados de fevereiro último, a Capital dispõe de apenas 583 engenheiros, entre os quais 129 agrônomos, o que está muito distante do que seria necessário, tendo em vista a magnitude das tarefas a serem cumpridas. A situação, no entanto, fica ainda mais grave quando se observa que desses mais de 300 estão trabalhando com “Abono de Permanência”, o que significa que podem se aposentar a qualquer momento, deixando a Administração em situação ainda mais precária. 

Questões fundamentais como essas exigem solução adequada e urgente e certamente estarão na pauta da frente parlamentar ora em processo de criação, que chega como ótimo reforço ao bem-estar dos paulistanos. 

 Murilo Pinheiro – Presidente 

Adicionar comentário


logoMobile