Imprimir

Da água que bebemos ao modo como vamos para o trabalho ou para a escola, passando pela internet que temos nos celulares, a infraestrutura afeta todos os aspectos da nossa vida. Redes de saneamento básico, ruas, estradas, prédios de colégios ou hospitais, até nossas próprias casas, são exemplos de infraestruturas essenciais para as pessoas.

Foto: ONUApesar de sua importância, a infraestrutura não deve ser compreendida como um fim em si mesmo, mas como um meio para favorecer a prestação de serviços fundamentais e o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, aponta o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS).

Em vez de falar, por exemplo, em pontes e estradas, o UNOPS considera mais adequado pensar em mobilidade e conectividade, de modo a enfatizar os serviços que a infraestrutura permite oferecer. Foto: PEXELS (CC)/Aleksejs Bergmanis

Em vez de falar, por exemplo, em pontes e estradas, o UNOPS considera mais adequado pensar em mobilidade e conectividade, de modo a enfatizar os serviços que a infraestrutura permite oferecer. Foto: PEXELS (CC)/Aleksejs Bergmanis

Da água que bebemos ao modo como vamos para o trabalho ou para a escola, passando pela internet que temos nos celulares, a infraestrutura afeta todos os aspectos da nossa vida. Redes de saneamento básico, ruas, estradas, prédios de colégios ou hospitais, até nossas próprias casas, são exemplos de infraestruturas essenciais para as pessoas.

Apesar de sua importância, a infraestrutura não deve ser compreendida como um fim em si mesmo, mas como um meio para favorecer a prestação de serviços fundamentais, aponta o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS). Em vez de falar, por exemplo, em pontes e estradas, o mais adequado é pensar em mobilidade e conectividade, de modo a enfatizar os serviços que a infraestrutura permite oferecer.

“Devemos entender a infraestrutura como um facilitador”, afirma Steven Crosskey, diretor de Posicionamento Estratégico da agência da ONU.

Marianne Fay, economista-chefe da área de Mudanças Climáticas no Banco Mundial, é categórica: “no final, as pessoas se preocupam com serviços”.

Os sistemas de infraestruturas têm um grande potencial para fortalecer os três pilares dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) — crescimento econômico, desenvolvimento social e proteção ambiental.

O ODS nº 9 faz referência explícita à construção de infraestruturas resilientes. Mas o desenvolvimento da infraestrutura pode apoiar todas as metas da ONU.

“Infraestrutura é essencial para permitir o alcance de todos os ODS. Afinal, ela é necessária para garantir todos os aspectos do desenvolvimento”, resume Claudia Valenzuela, representante do UNOPS no Brasil.

A infraestrutura sustentável permite que os governos e o setor privado forneçam serviços capazes de garantir meios de vida ambientalmente responsáveis, além de possibilitar um maior crescimento econômico.

Ao mesmo tempo, a infraestrutura sustentável melhora a qualidade de vida e promove a dignidade humana. Ao criar emprego e atividade econômica, as infraestruturas favorecem o desenvolvimento.

De acordo com estudo realizado pela The Economist, as infraestruturas sustentáveis só podem ser implementadas quando os três pilares — econômico, ambiental e social — são considerados, quando os serviços de infraestrutura são resilientes e quando o acesso a eles é igualitário.

Garantir a igualdade de acesso a esses serviços é essencial — uma aspiração consagrada em muitos dos ODS, que abordam temas como saúde, educação, habitação, água e saneamento. “O nosso trabalho é exatamente apoiar os governos a viabilizarem infraestruturas que vão melhorar a vida das pessoas e contribuir para o alcance dos ODS”, completa Claudia.

Com informações do estudo O papel fundamental da infraestrutura para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, produzido pela Unidade de Inteligência da The Economist.

ONU