sociais

logos

Cresce Brasil

O Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) teve participação na construção do primeiro telescópio de grande porte (LST, na sigla em inglês) do Arranjo de Telescópios Cherenkov (CTA, na sigla em inglês), inaugurado na última quarta-feira (10), no território espanhol das Ilhas Canárias. O CBPF foi responsável pelo desenvolvimento de um sistema que alinha em tempo real os cerca de 200 espelhos que compõem o plano refletor do telescópio.

O primeiro telescópio do CTA tem cerca de 23 metros de diâmetro e está instalado no território espanhol das Ilhas Canárias. Foto: DivulgaçãoO primeiro telescópio do CTA tem cerca de 23 metros de diâmetro e está instalado no território espanhol das Ilhas Canárias. Foto: DivulgaçãoO projeto foi desenhado e prototipado pelo astrofísico Ulisses Barres de Almeida e pelo tecnologista Rodrigo Félix e é composto por um sistema de óptica ativa e de atuadores mecânicos. Com essas peças, é possível ajustar a posição dos espelhos para ampliar a capacidade de captação de luz de alta intensidade vinda do espaço. A produção do conjunto coube à Elemar, empresa sediada em Campinas (SP).

O primeiro telescópio do CTA tem cerca de 20 metros de diâmetro e conta com aproximadamente 2 mil fotomultiplicadores – dispositivos eletrônicos que convertem fótons em corrente elétrica, de maneira que é possível quantificar a luz que chega ao aparelho. Esses artefatos observam partículas luminosas de alta energia e, assim, permitem o estudo de fenômenos como os buracos negros supermassivos e a procura por matéria escura no universo.

Segundo o diretor do CBPF, Ronald Shellard, que esteve presente à inauguração do telescópio na Espanha, o CTA “representa a nova geração de instrumentos para a observação do universo nas mais altas energias dos raios-gama”. Quando estiver finalizado, em 2024, o consórcio contará com 19 equipamentos nas Ilhas Canárias e outros 99 no Chile, de diferentes portes.

Participação maior

O CBPF recebeu ainda a encomenda para a produção do mesmo tipo de sistema para outros sete telescópios do consórcio CTA, que devem ser construídos nos próximos cinco anos.

A previsão é que todo o arranjo de telescópios seja concluído até 2024. Os especialistas estimam que ele terá uma sensibilidade dez vezes maior que outros equipamentos da mesma escala.

MCTIC

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

logoMobile