sociais

logos

Cresce Brasil

O Seminário da Rede Internacional de Autoridades Locais da Periferia (Falp), iniciou na quinta-feira, 23 de novembro, no Teatro Dante Barone (Assembleia Legislativa), em Porto Alegre. O evento pretende discutir e aprimorar experiências de gestão conjuntas com foco no desenvolvimento sustentável de cidades que compõem as Regiões Metropolitanas das mais diversas partes do planeta. O seminário é promovido pela prefeitura de São Leopoldo, pelo Fórum Democrático do Parlamento Gaúcho, pela Associação Brasileira de Municípios, Embaixada Francesa, Comitê de Inclusão, Participação e Direitos Humanos e prefeitura de Nanterre (França).

Temas como direitos humanos, protagonismo das mulheres, direito à cidade, mobilidade urbana, imigrações, cultura de periferia e participação popular serão discutidos em três dias de atividades. O seminário prossegue nesta sexta-feira (24) e no sábado em São Leopoldo.

PublicidadeNa abertura oficial do Falp o prefeito Ary Vanazzi destacou a retomada da articulação política em nível internacional. “Queremos buscar alternativas conjuntas para as dificuldades enfreadas pelas populações periféricas dos grandes centros urbanos. O nosso desafio é desenvolver políticas públicas com uma ótica solidária democrática e sustentável para as cidades de periferia que passam por enormes dificuldades do ponto de vistas do aumento das desigualdades sociais. O processo passa pelo enfrentamento da desmotivação política e incremento dos mecanismos de participação como forma de tornar os sujeitos protagonistas da responsabilidade do local onde vivem. Além da troca de experiência buscaremos a formação de convênios com cidades de países com capacidade maior de investimentos. Esperamos obter diversos resultados positivos”, disse Vanazzi.

Também estavam presentes na mesa o presidente da Assembleia Legislativa do RS, Edegar Preto (PT); a deputada Stela Farias (PT); o prefeito de Nanterre (França), Patrick Jarry; o conselheiro municipal da Pikine (Senegal), Moussa Ndiaye; o prefeito de Aizaria (Palestina), Issam Farun; o prefeito de San Antonio de Areco, Francisco Durañona; o presidente da Associação Brasileira de Municípios, Eduardo Tadeu, e o diretor da Aliança Francesa de Porto Alegre, Patrice Pouc.

Empoderamento feminino

O painel “O protagonismo das mulheres: da periferia aos espaços de representação na política”, realizado também na quinta-feira, deu inicio aos debates do Seminário Internacional do Falp. Coordenado pela deputada estadual Stela Farias (PT), a discussão abordou a situação das mulheres nas instituições sociais e políticas, os avanços, os desafios que ainda têm pela frente e o risco de retrocessos em decorrência do avanço do conservadorismo no mundo.

A professora de Ciências Políticas e coordenadora do Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre a Mulher e Gênero (NIEM), Jussara Prá compôs a mesa e apresentou estatísticas que apontam o Brasil nas últimas posições em termos de participação feminina na política e nas primeiras no ranking da violência. “As constituições modernas cidadanizam as mães, mas não as mulheres. Com isso, elas não conseguem exercer poder político em igualdade de condições com os homens”, apontou.

Os avanços garantidos pelo movimento feminista na Europa foram destacados pela professora da Université Paris 13 Nord e deputada departamental de Saint-Denis, Sílvia Capanema. Em sua avaliação, as mulheres conseguiram ocupar lugar nas instituições, mas ainda não conquistaram poder. Ela citou que só 16% das prefeituras francesas e 2% da presidência dos departamentos são ocupados por mulheres. Sílvia também afirmou que a discriminação contra as mulheres está bastante presente no mundo do trabalho. Sem uma lei específica que puna a violência de gênero, a França, de acordo com a professora, registra cerca de 250 mil casos de violência doméstica e sexual por ano.

Representantes do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, Maria Cristina de Oliveira e Maria Helena Rodrigues falaram sobre o trabalho desenvolvido no Estado e as dificuldades pelas quais precisam enfrentar. “Os governantes nos tratam, muitas vezes, com desprezo e desrespeito. Mas estamos aprendendo a não baixar a cabeça para qualquer dificuldade. Temos que seguir em frente”, ressaltou. Márcia Cristina destacou que a cooperativa onde atua, na cidade de Esteio, investe na formação das mulheres “Desde 2012 estamos nos capacitando, pois as mulheres ocupam cerca de 70% das vagas de trabalho com material reciclado”, apontou.

O segundo painel do Seminário Internacional da Rede Fórum de Autoridades Locais de Periferia (FALP), tratou do tema “A Cultura como ferramenta de resistência e superação do ultra-neoliberalismo, xenofobia e todas as discriminações”. O debate girou em torno da importância dos saberes populares presentes nas periferias e como dar a devida visibilidade para se tornarem ferramentas de transformação social. A mesa foi composta pelo ator e músico John Conceição; o representante da Casa Hip Hop de Esteio Rafa Rafuagi; e os representantes da cultura Hip Hop do Uruguai, Malon Leonardo e Florencia Galli (2Flow). A moderação foi do secretário de Cultura de São Leopoldo, Pedro Vasconcellos. Os participantes destacaram a cultura Hip Hop como ferramenta de resistência e educação para a juventude das periferias.

Rede FALP

Essa Rede conta com 250 poderes locais de 32 países do mundo. O FALP, que se organiza em redes de cidades de periferias dos grandes centros urbanos do mundo todo, é um espaço para debates e troca de experiências entre gestores, pesquisadores e lideranças de movimentos sociais, comprometidos com a busca de soluções para os graves problemas existentes nesses territórios. Este Seminário Internacional discutirá o tema “Alternativas Sustentáveis e Solidárias para um mundo em crise”. Estão presentes autoridades locais periféricas e metropolitanas, as redes de poderes locais, os movimentos sociais e populares, entidades sociais e lideranças culturais, objetificando resistir e construir metrópoles policêntricas, solidárias, sustentáveis e democráticas, visando a discussão e a prospecção de novas possibilidades e alternativas para este delicado cenário atual.

A Rede FALP – Fórum de Autoridades Locais de Periferia surgiu em 2003 no marco do Fórum Social Mundial e do Fórum de Autoridades Locais pela Inclusão Social e a Democracia Participativa, em Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre.

Revista News

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

logoMobile