sociais

logos

Cresce Brasil

O deputado federal Ronaldo Lessa (PDT/Alagoas) conheceu, no final da manhã do dia 18 de agosto último, o Instituto Superior de Inovação e Tecnologia (Isitec), logo após sua participação na mesa de abertura da 11ª Jornada Brasil Inteligente, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários Regulamentados (CNTU). Segundo o próprio parlamentar, a visita era um compromisso bastante aguardado por ele.

“Desde o ano passado estou curioso para ver de perto o que os engenheiros têm me contado. Infelizmente, tive um contratempo pessoal e, em Brasília, onde venho atuando, tem sempre um desafio novo”, declarou Lessa, aos estudantes do Isitec, cuja mantenedora é o Seesp.

O parlamentar fez questão de conhecer todas as instalações do prédio e de conversar com os alunos para ver de perto a metodologia inovadora da instituição. “Logo cedo eu estava em uma consulta médica e aí contei para ela sobre o Isitec e ela não acreditou que uma faculdade como essa existisse aqui em São Paulo. Algo novo, ousado ...”, disse Lessa, interrompendo bruscamente sua fala. Em seguida, emendou: “A gente olha algo grandioso como o Isitec, que é de certa forma financiado pelo imposto sindical, e lembramos que tem quem pense que o imposto sindical pago às entidades pudesse ser algo marginal porque um ou outro sindicalista usa de forma inadequada”.

“O Isitec é um exemplo de recursos bem aplicados. Já pensaram se tivéssemos uma iniciativa dessa em cada estado? Isso é o maior exemplo que o Brasil tem para demonstrar o quanto instituições como sindicatos, federações, confederações e CREAs podem contribuir para o desenvolvimento do País”, destacou Ronaldo Lessa.

O deputado federal, que é engenheiro e fez questão de citar essa informação em todas as conversas que teve com os estudantes, ficou visivelmente impressionado com a instituição e lamentou que a educação ainda não seja oobjeto principal de políticas públicas. “Se a gente tivesse uma visão mais clara sobre a importância do ensino não estaríamos nesta situação. Países que deram salto de qualidade, como Coreia, só o fizeram porque investiram em educação. Portanto, vocês estão numa escola que é destaque e estou muito feliz em poder conhecer e contar para as pessoas que existe, que o Isitec é real”, completou.

Ele também contou sobre sua atuação na Frente Parlamentar Mista de Engenharia, Infraestrutura e Desenvolvimento Nacional, a qual preside, e da importância que ela vem ganhando desde que foi criada, no final de 2016. Os SEESP participa da Frente por meio da Federação Nacional dos Engenheiros, a qual é filiado. “A Frente é para valorizar os técnicos deste País. Se tivéssemos mais técnicos no comando do País estaríamos em outro patamar”, lamentou.

Falou, ainda, sobre a difícil tarefa em aprovar um projeto de lei no Congresso. “Só agora o projeto que criminaliza o exercício ilegal da profissão (de engenheiro), que está tramitando no Congresso desde 2003, tive um retorno mais positivo. O presidente da Casa me disse que vai levar o projeto a votação ainda em agosto, em regime de urgência, depois de obtermos as assinaturas de 16 líderes de partidos no requerimento”.

Deborah Moreira
Comunicação Seesp

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

logoMobile