sociais

logos

Cresce Brasil

SC

Mobilidade urbana demanda engenharia

Mobilidade não é uma preo­cupação recente do Senge Santa Catarina. A entidade integra grupos de trabalho e de discussões desde a década de 1980, atuou em defesa da duplicação da BR-101 e da SC-401, da recuperação da Ponte Hercílio Luz — interditada desde 1982 — e de obras públicas em Santa Catarina, com foco nas soluções técnicas da engenharia. O sindicato é participante ativo de uma das mais importantes iniciativas multiprofissionais do estado, o Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Região Metropolitana de Florianópolis (Plamus), que conta com a participação de instituições públicas e privadas para incrementar alternativas técnicas capazes de reduzir graves problemas de mobilidade na maior região metropolitana do estado, com mais de 1 milhão de habitantes. O presidente do Senge, Fábio Ritzmann, entende que existem muitos conflitos que envolvem o tema ou o conceito de mobilidade. “Há os que defendem transporte coletivo como solução. Outros enfatizam as ciclovias. É preciso coordenar as diferentes percepções que os grupos de estudiosos têm sobre o tema, procurando adequá-las tecnicamente”, diz. E acrescenta: “A população às vezes tem uma ideia distorcida desses debates, porque parece que há uma disputa entre A e B, quando, na verdade, tudo isso deveria funcionar de forma unificada.”

RS          

Seminário Agricultura, desenvolvimento e combate à crise

O evento ocorrerá no dia 16 de junho, em celebração dos 74 anos do Senge-RS, no Teatro do Prédio 40 da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre. Conforme o programa divulgado, a atividade “reunirá especialistas de renome nacional e internacional, visando debate qualificado em relação às contribuições latentes da agricultura e seu alto grau de reação e capilaridade na formulação de políticas de desenvolvimento e recuperação financeira do Estado”. Confirmada participação de pesquisadores do setor, como Zander Soares de Navarro, Antônio Márcio Buainain, Eliseu Alves e representantes da Ecocitrus, Dália Alimentos e Estância Guatambu apresentando cases de destaque. Programação provisória e inscrições gratuitas em http://goo.gl/h8wohK.

FNE e sindicato buscam representação nos Correios

Valorização profissional e participação da federação nas negociações do Acordo Coletivo dos Correios foram discutidas nos dias 4 e 5 de maio com a presença do diretor de Negociações Coletivas da FNE, Tadeu Ubirajara Rodriguez, do vice-presidente do Senge-RS, Luiz Alberto Schreiner, e de diretores da empresa. Os sindicalistas visitaram o presidente dos Correios, Giovanni Queiroz, na sede em Brasília, para apresentar o trabalho desenvolvido pela FNE e suas entidades filiadas, reiterando a importância da valorização do quadro técnico à qualidade e continuidade do serviço prestado pela empresa, que conta com 709 engenheiros entre os seus funcionários. Os sindicalistas estiveram também com a vice-presidente de Serviços dos Correios, Andréa Mendonça.

CE

Repúdio ao edital de concurso em Caucaia

Em 2 de maio, diversas instituições, entre elas o Senge-CE, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE) e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU),  assinaram conjuntamente nota de repúdio à Prefeitura Municipal de Caucaia. A iniciativa se deveu ao Edital nº 001/2016 para provimento de vagas de profissionais representados por essas entidades que propunha salário de R$ 1.763,67 para carga horária de 200 horas mensais. “Oferecer um salário e uma carga horária aviltantes é, no mínimo, uma atitude antiética, praticada por quem se aproveita da atual conjuntura, de crise e desemprego no País. Os profissionais [...] têm piso e carga horária definidas em legislação específica (Lei 4.950-A/66) e seu trabalho encontra amparo na Constituição Federal de 1988 e na Resolução 1.002/2002, do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia [...]”, afirma a nota.

TO

Comissão discute mudanças no estatuto

Entidades representativas dos servidores públicos do município de Palmas (TO), incluindo o Seageto, se mobilizaram e discutiram em várias reuniões propostas de alteração do estatuto dos servidores, juntamente com a Câmara de Recursos Humanos da Prefeitura. Após a elaboração e aprovação, o documento foi entregue ao prefeito Carlos Enrique Franco Amastha para análise e aceitação.

PI

Justiça suspende subconcessão na Agespisa

A Justiça do Trabalho acatou ação civil pública impetrada pelo Senge Piauí e pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Piauí. Em 13 de maio último, o juiz Adriano Craveiro Neves determinou imediata suspensão da licitação à subconcessão dos serviços de água e esgoto em Teresina. Na visão do magistrado, a medida representa a terceirização das atividades-fim da Águas e Esgotos do Piauí (Agespisa). O descumprimento da decisão implicará multa de R$ 500 mil ao órgão. “As justiças estadual, federal e, agora, do Trabalho determinaram a suspensão da subconcessão. O governo deveria se unir aos trabalhadores da Agespisa e aos sindicatos e adotar uma medida de recuperação da empresa, mas parece não ser do seu interesse. Esperamos que a justiça prevaleça e esse projeto maldoso aos profissionais e à população seja enterrado”, critica Antonio Florentino de Souza Filho, presidente do Senge.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

logoMobile