Imprimir

Em artigo publicado em 10 de agosto último, no Correio do Povo de Porto Alegre, o Senge-RS divulgou seu posicionamento, apontou as origens da grave crise financeira do Rio Grande do Sul e cobrou transparência do governador José Ivo Sartori. Tratando o momento como uma “morte anunciada”, o sindicato salientou a “repetição de equívocos administrativos e a falta de vontade política necessária às mudanças estruturais”, problemas acumulados em sucessivas administrações.

O artigo responsabiliza os gestores públicos de todos os partidos e de todas as administrações pelo gigantesco rombo, que afeta o pagamento dos salários dos servidores e o repasse de verbas para serviços básicos como saúde, educação e segurança pública. Para superação do quadro de extrema dificuldade, o sindicato defende um conjunto de medidas estruturantes, como reforço na fiscalização e combate à sonegação. Sustenta também a prevalência de mais engenharia, enumerando o significativo aporte tecnológico disponível na estrutura do estado, responsável por importantes projetos nas áreas de ciência e tecnologia, energia, agricultura, infraestrutura, meio ambiente, saneamento, entre outras. Leia na íntegra no link http://goo.gl/zBvp1m.